Apresentação

Portugal é claramente deficitário na produção de carne de bovino, com um grau de auto-aprovisionamento de 47,5% em 2014. Apesar do efetivo nacional de bovinos de carne ter aumentado nos últimos anos, particularmente no Alentejo, houve uma redução do volume de produção, que em 2014 se situava abaixo das 80 mil toneladas de carne. Esta redução deve-se principalmente à diminuição do nível de abate em as categorias de animais (vitelos, novilhos, novilhas, vacas) e à redução do peso médio dos animais ao abate.

Ao nível dos bovinos de carne o défice da balança comercial foi superior a 350 M€ em 2014, não obstante a exportação de animais vivos, sobretudo vitelos, para Espanha.

Os níveis de produtividade dos bovinos de carne em Portugal são reduzidos, abaixo do potencial produtivo normal da espécie, sobretudo por gestão inadequada dos efetivos, em parte devido à escassez de informação de natureza técnico-produtiva e económica nos produtores. Daí resultam os baixos índices de eficiência alimentar, os reduzidos valores de fertilidade aparente (<75%) e os intervalos entre partos demasiados elevados (>475 dias), claramente insuficientes para fazer face aos novos desafios que se colocam no sector, nomeadamente o novo regime de apoio às vacas em aleitamento, que passou a exigir a ocorrência de parto pelo menos uma vez nos últimos 18 meses.

A produção de bovinos de carne, representada no Continente em cerca de 25000 explorações, é essencial para a agricultura Portuguesa, mas a rentabilidade das explorações e o aumento da produção terá de passar obrigatoriamente pela aplicação de métodos e instrumentos de gestão técnico-produtiva e económica mais eficientes, que resultem objetivamente em aumentos da produtividade, redução dos custos de produção unitários e sustentabilidade agro-ecológica dos sistemas produtivos.

Em síntese, o Go BovMais propõe-se contribuir para a melhoria da produtividade e competitividade dos bovinos de carne em Portugal.